quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

Bolo de cenoura e coco ( vegan )

As ruas começam a ficar decoradas com vermelho, durado e verde. As montras enfeitam-se com o espírito natalício, cheias de brilho e entusiasmo. A árvore (s) foi montada no domingo. Já está cheia de brilho, de amor e o presépio bem perto. 
Já cheira a Natal, os primeiros presentes já estão por aqui à espera dos embrulhos especiais, gosto de ser sempre eu a embrulhar.
E à porta está o meu aniversário. Não estou muito entusiasmada, confesso. Pela primeira vez confesso não estar muito entusiasmada. Será o peso da idade? Terá sido com o desânimo do país? Será da crise?
Este ano não foi brando connosco. Não me deixará saudades.
Por isso, uma fatia de bolo calha sempre bem para esquecer os maus momentos. E de preferência uma fatia de bolo que o meu pipoca mais pequenino possa comer.


Precisamos de:
- 1 cup + 1/2 de farinha
- 1 col. chá (bem cheia) de fermento em pó
- 1 maçã ralada (sem pele)
- 85g de cenoura ralada
- 2 col. sopa de coco ralado
- um pouco de sal
- 10 tâmaras descaroçadas e trituradas
- 1 cup de água
- 1/2 cup de óleo de colza
- 1/2 cup de açúcar amarelo

1. Colocar tudo no processador e misturar (na Bimby vel. 5-7-9 uns segundos)
2. Untar com óleo ou spray alimentar uma forma de bolo inglês e forrar com papel vegetal.
3. Colocar a massa de bolo e levar a cozer a 180º (forno pré - aquecido) cerca de 45m.

segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

Bolo de maçã e amêndoa

Há que relativizar tudo o que acontece. As coisas boas, que não duram toda a vida. E as coisas más, esperemos que não demorem a passar. E entre as coisas boas e as coisas más, uma série de ensinamentos, aprendizagens que nos ajudam a crescer. Tudo faz parte de nós, tudo nos ensina, tudo nos faz crescer. Ou pelo menos, deveria fazer.
Não é fácil às vezes relativizar. Temos tendência a ver o lado mau. Mas a verdade é que, em tudo, há um lado bom. Nas vivências, nas escolhas, nas pessoas. Só temos de perder um pouco de tempo a procurar. Ah, e ver sempre com olhos dever, com o coração.

Falando de outras coisas, gosto de perder tempo em supermercados. Mas gosto de perder tempo quando vou sem lista. Quanto tenho tempo de ver rótulos, de verificar novas utilizações, de ver novos produtos.

E no Lidl, as massas da marca Deluxe (e não, não é um post com publicidade, ninguém me pagou para isso) deixam-me cheia de vontade de as trazer todas. Ainda hoje vi uma série de massas que não é comum ver por cá. Deu-me logo muitas ideias diferentes, vontade de cozinhar as nove da manhã. Claro que já vim embora abastecida.
Sabe-me bem acordar com esta vontade de fazer, de criar, de fotografar. É a melhor forma de iniciar a semana e quem diria que numa segunda-feira, em pleno Lidl me iria encher de inspiração?



Precisamos de:
- 1 cup de farinha
- 1 col. chá de fermento em pó
- 1 col. chá de sal
- 8 col. sopa de margarina
- 1 cup de açúcar amarelo
- 50g de amêndoa triturada
- 2 ovos
- 2 claras
- baunilha
- 2 maçãs descascadas e fatiadas finamente

1. Misturar farinha, fermento e sal.
2. Bater margarina com açúcar cerca de dois minutos.
3. Acrescentar amêndoa, baunilha e os dois ovos, um de cada vez, batendo entre cada adição.
4. Bater as claras em castelo e envolver na massa intercalando com a farinha.
5. Untar forma, colocar massa e por cima as fatias de maçã fatiadas.
6. Levar a cozer em forno pré - aquecido a 180º cerca de 45m.


quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

Crepes sem ovo (vegan)

Esta noite foi uma daquelas. Primeiro eu, cheia de dores de barriga. Depois, o mais pequenino a vomitar toda a noite.
Bolas, ultimamente as doenças e a má sorte não abandonam esta casa. Fixaram poiso. Ainda há pouco estiveram ambos doentes e agora, o mais pequenino está de novo. Não consegue comer. Há pouco adormeceu no sofá de tão cansado.
A verdade é que, nenhum livro sobre maternidade nos prepara para a aflição de ver um filho doente, prostrado, pálido, sem falar. Nada nos prepara para isto.
E os meus, quando deixam de falar....:/
Enfim, resta-nos esperar pela visita à pediatra de tarde e que seja apenas algo passageiro.
Hoje trago uma receita de crepes, adaptada daqui e foi o nosso pequeno almoço no sábado porque o fim de semana começa sempre com algo especial.
Por cá fizemos estes sem ovo e crepes normais e todos preferimos sem ovo.



Precisamos de:
- 120g de farinha tipo 55
- 2 col. sopa de açúcar amarelo
- 2 col. sopa de cacau peneirado
- 1 cup de água
- 1/2 cup de leite de aveia
- 40g de flocos de aveia integrais
- 2 col. sopa de óleo de colza

1. Misturar tudo muito bem com a ajuda da varinha mágica ou da Bimby (vel. 5-7-9 uns segundos).
2. Refrigerar 30m.
3. Untar com um pouco de óleo de girassol a frigideira e repetir este processo para cada crepe.
4. Colocar uma porção da massa e deixar cozinhar por uns minutos de cada lado. Usar as pontas dos dedos para virar os crepes e deixar cozinhar do outro lado.
5. Por cá comemos com açúcar, canela em pó, xarope de agave, fruta.

terça-feira, 18 de Novembro de 2014

Cogumelo recheado com couve-flor e pesto de cânhamo

A Joaninha, querida do meu coração, enviou-me sementes de cânhamo. Não conhecia. Passei a conhecer. É tão bom estes intercâmbios culinários, estas partilhas, são do melhor que temos na blogosfera.  Foi ela que me falou do pesto de cânhamo e eu resolvi experimentar. Não terá sido esta a versão dela mas por cá foi esta a realizada.
Na semana passada, no meio de uma semana muito má fui surpreendida pelo mimo de alguém que mora muito longe mas que, tem lugar no meu coração. Foi, como lhe disse, um mega abraço ainda que sem estarmos fisicamente, uma com a outra.
Estas coisas, estas amizades virtuais, honestas e desinteressadas não têm preço.
Há pessoas que nos surpreendem, nas piores alturas. Há pessoas que entram no nosso coração para nunca mais sair por exemplo, minha amiga A. que nasceu no mesmo dia e ano que eu é uma das melhores pessoas que eu conheço. Daquelas amigas, que sei que posso contar sempre e que, nunca me falharão. Assim como eu não lhe falharei, ou não fossemos do mesmo signo. Para ela um abraço daqui aí...
E hoje trago uma receita diferente, vegetariana, daquelas que eu gosto.




Precisamos de:
*Pesto de cânhamo:
- 60g de espinafres frescos
- 30g de sementes de cânhamo
- 1 col. sopa de sumo de limão
- 1 col. chá de mostarda
- 3 dentes de alho
- azeite q.b.
- sal

1.Colocar todos os ingredientes na liquidificadora Krups Mini Perfect Mix 9000 e com o bocal aberto vá adicionando o azeite.
2. Reserve.

*Cogumelo recheado de “arroz” de couve-flor e pesto de cânhamo:
Dose para um
- 1 cogumelo grande
- - 1 col. sopa de pesto de cânhamo
- 50g de couve-flor
- um fio de azeite
- 1 dente de alho
- sal, pimenta e cominhos q.b.
- 40g de espinafres frescos
- 50ml de natas de soja
- 1 col. sopa de queijo ralado

1.Colocar a a couve – flor na Krups Mini Perfect Mix 9000 e triturar até ficar tipo grãos de arroz. Retirar e de seguida triturar também o alho.
2. Levar o alho picadinho, a couve – flor e o azeite ao lume e deixar saltear um pouco.
3. Adicionar os temperos: sal, cominhos e pimenta deixando cozinhar 5m.
4. Adicionar os espinafres e o pesto e deixar cozinhar até estes murcharem.
5. Acrescentar natas e deixar que cozinhem.
6. Colocar o cogumelo, grande, num pirex, rechear com o preparado e cobrir com o queijo ralado. Levar ao forno a 180º cerca de 20min.
7. Servir com cenouras salteadas.

A Krups Mini Perfect Mix 9000 é perfeita para simplificar pequenos gestos do dia-a-dia.
Porque não triturar lá alho e cebola para os refogados? Picar tomate para o molho guloso de tomate e manjericão, tostar as especiarias e triturar na mini liquidificadora?
E aproveitar o resto de pão duro que já ninguém come, adicionar alho e coentros, colocar tudo na liquidificadora e ficar com pão ralado aromatizado? E fazer uma crosta diferente para os panados usando corn flakes, flocos de aveia e pão de véspera? É só triturar na Krups Mini Perfect Mix 9000.

Já basta vivermos em estado de stress e correria constantes, vamos aproveitar esta “ajudante” e simplificar o nosso dia-a-dia.

segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

Sopa picante de batata doce, pimento vermelho e harissa

Antes achava que só havia duas cores: preto e branco. Estas duas tonalidades aplicavam-se a tudo na vida, até às receitas. Depressa percebi que não, que as sopas podem ser doces, picantes; os aperitivos podem ser doces, salgados, e uma mistura de ambos, e que uma pitada de sal num bolo faz milagres. Portanto acrescentei aos meus parâmetros uma série de cores e gradações que antes não existiam.
Ao almoço raramente, muito raramente como carne ou peixe e adoro uma sopa bem quente, cheia de sabor, com pedaços e massas, deixa-me satisfeita durante horas.
E desta vez, saiu uma sopa super saborosa em que o doce se mistura com o picante e que combina tão bem.
Desejo-vos uma boa semana!



Precisamos de:
- 230g de batata doce (pesar depois de descascar)
- 65g de pimento vermelho
- 230g de abóbora butternut
- 1 col. chá de harissa
- 1 col. sopa de azeite
- sal e pimenta

- 80g de cotovelinhos
- 60g de feijão encarnado (cozido)
- 50g de couve lombarda cortada em pedacinhos
- 1 cenoura partida em pedacinhos
- 1 tortilha (flor de sal, azeite e oregãos)

1. Refogar tudo partido em pedacinhos até ficar amolecido, sem deixar queimar (na Bimby, vel colher, 100º, 8m).
2. Acrescentar água suficiente, até cobrir os legumes e deixar cozinhar (na Bimby, vel. colher, 100º, 20m).
3. Retificar temperos e triturar até ficar cremoso (na Bimby, vel. 5-7-9 uns segundos)
4. Acrescentar a massa de cotovelinhos, cenoura, couve (o feijão reserve e adicione apenas quando tudo estiver praticamente cozido) e deixar cozinhar lentamente (na Bimby, vel. colher inversa, 15m).
5. Leve a tortilha ao lume, numa frigideira anti aderente,  pincelada com azeite, salpicada com flor de sal e oregãos e deixe que fique crocante, sirva com a sopa.

quarta-feira, 12 de Novembro de 2014

Bolo mármore - versão 2

Já disse e voltei a dizer que encontro a minha serenidade e a minha sanidade mental entre tachos e panelas. Não há volta a dar a isto! Quanto mais em baixo estou mais receitas novas vão saindo. É inevitável e até poderá parecer-vos estranho mas é verdade, a tristeza não enfraquece o processo criativo, pelo menos, nem sempre. 
Ando de costas voltadas com o Natal, nem parece meu. Ando de mau humor, de má vontade com tudo, menos com a cozinha. E quando me sinto mais triste faço um bolo, encho a casa de canela, noz moscada, faço pão e rolinhos de canela, mas a neura passa logo. É caso para dizer que a cozinha faz maravilhas, pelo menos no meu caso.
E com o tempo tenho aprendido a gostar de bolos simples mas cheio de sabor. Bolos que acompanhem o chá. Ao domingo há sempre bolo fresquinho e lugar na mesa para os amigos. A lareira já se acende e sabe tão bem ficar em casa em família.
Por isso hoje, deixo mais uma receita de bolo mármore, o bolo que fazia as delícias da minha infância e que agora faz as de todos.




Precisamos de:
- 4 ovos
- sumo de 1 laranja
- 1 cup de açúcar
- 2 cups + 1/2 de farinha sem fermento
- 1/2 cup de óleo
- 1 col. chá de fermento
- 6 col. sopa de cacau de boa qualidade (uso Valor)
- 3 col. sopa de leite

1. Bater as claras em castelo.
2. Bater açúcar com as gemas, muito bem, cerca de cinco minutos.
3. Adicionar farinha, leite, sumo de laranja, óleo e fermento e bater bem.
4. Envolver as claras em castelo, cuidadosamente.
5. Separar a massa em duas partes, numa adicionar o cacau e misturar muito bem.
6. Untar uma forma de bolo inglês e forrar fundo e laterais com papel vegetal.
7. Colocar porções de massa, uma de cada vez para que o bolo fique com aspecto marmoreado.
8. Deixar cozer cerca de 50m a 180º.

domingo, 9 de Novembro de 2014

Pão estrela com nutella

Sou a pessoa mais natalícia que podem encontrar. Sempre fui assim! Desde Novembro que começo em contagem decrescente para o Natal, em que olho sempre com emoção para os enfeites de Natal, as luzes a piscar.
Temos uma tradição familiar, temos muitas, mas uma delas é comprar em cada ano um enfeite de Natal, que é decidido a quatro. É também a quatro que montamos a árvore de Natal, impreterivelmente no dia 1 de Dezembro. E em cima da árvore, lá no cimo, ao invés de uma estrela colocamos um anjo para abençoar a família.
É também, sempre, uma luta para manter a árvore, o comboio de Natal intactos por causa do sr. Benny que se atira a ambos como se não houvesse amanhã.
Os presentes vão sendo colocados em volta da árvore ao longo do mês de Dezembro. Só são abertos na véspera de Natal e no dia de Natal os que são deixados perto da lareira pelo Pai Natal.
Por cá já se começaram a preparar as compotas e geleias que farão parte dos presentes para a família e amigos mais próximos, presentes caseiros feitos com muito carinho.
Mas este ano, ao contrário dos outros não estou muito animada. Diria que  sinto uma certa tristeza e nostalgia conforme a contagem dos dias vai diminuindo.
Esta época costuma encher-me de entusiasmo, de optimismo, de esperança. Essa é a maior dádiva do Natal e não os presentes, as ofertas, os vales.
Enquanto vou procurando em mim o espírito natalício, deixa a receita do pão de Nutella. 



Precisamos de:
- 450g de farinha tipo 65
- 2 gemas (reserve as claras para pincelar)
- nutella q.b.
- 8g de fermento de padeiro
- 40g de açúcar
- 180ml de leite

*Tradicional:
1. Misturar o leite com o fermento, o leite deve estar morno e deixar actuar 15m.
2. Misturar os restantes ingredientes e amassar muito bem, cerca de 10m.
3. Deixar levedar em local quente, numa taça coberta por um pano cerca de 40m.
4. Dividir a massa em duas partes, formar um círculo, colocar nutella a gosto, por cima colocar outro círculo de igual tamanho.
5. Com um cortador redondo ou um copo, marcar o centro do círculo. Fazer 12 cortes em redor, até ao círculo do meio que marcou. Torcer casa pedaço.
6. Deixar levedar mais 20m.
7. Pincelar com clara batida levemente com um garfo e levar a cozer a 180º, 7 minutos apenas com a resistência de baixo ligada e mais 8m com ambas as resistências ligadas.

*Bimby:
1. Colocar leite e fermento no copo da Bimby e programar 2m, 37º. Deixar actuar 15m.
2. Adicionar os restantes ingredientes ao copo e programar vel. espiga, 5m.
3. Deixar levedar em local quente, numa taça coberta por um pano cerca de 40m.
4. Dividir a massa em duas partes, formar um círculo, colocar nutella a gosto, por cima colocar outro círculo de igual tamanho.
5. Com um cortador redondo ou um copo, marcar o centro do círculo. Fazer 12 cortes em redor, até ao círculo do meio que marcou. Torcer casa pedaço.
6. Deixar levedar mais 20m.
7. Pincelar com clara batida levemente com um garfo e levar a cozer a 180º, 7 minutos apenas com a resistência de baixo ligada e mais 8m com ambas as resistências ligadas.

*adaptado de diversas receitas de pão com nutella

sexta-feira, 7 de Novembro de 2014

Ilha da Madeira

Tenho um grande amor à ilha da Madeira pois, para além de lá ter vivido e trabalhado durante dois anos, o meu pipoca mais velho nasceu lá.
Aquela ilha deixou-me boas recordações e tenho memórias de várias refeições em diferentes sítios da ilha: as queijadas de uma confeitaria da Ribeira Brava, o bolo do caco comprado à beira da estrada a fumegar com a manteiga de alho a escorregar, peixe- espada com banana maracujá num restaurante na Ponta do Sol, lapas grelhadas o restaurante Cachalote em Porto Moniz, um chá acabadinho de colher na casa de chá da Ponta do Pargo, os gelados de copo nos barquinhos do Funchal  mas, a minha preferida e do meu marido: a espetada em pau de louro com milho frito no restaurante Santo António no Estreito de Câmara de Lobos.
Voltamos lá anos depois, já com um pipoca mais pequenino e o encantamento foi igual: flores por todo lado, cheio de turistas, o mercado do Funchal, a praia de areia da Calheta, o teleférico, e o amor esse manteve-se intacto estes anos todos.
E voltamos a esses sítios todos para comer e o favorito? Restaurante Santo António.


terça-feira, 4 de Novembro de 2014

Bolo de banana e amêndoa

Costumo ser uma pessoa minimamente optimista. Tenho os meus maus momentos. De vez em quando vou-em abaixo, lavo-me em lágrimas mas logo de seguida, levanto a cabeça, limpo a cara e sigo em frente. Não gosto de ficar a matutar em coisas menos positivas. Não gosto de coisas e nem de pessoas que me deitem abaixo.
Isso não quer dizer que a minha vida seja um inferno ou um mar de rosas. É igual à de todos vós, tem dias bons e dias menos bons. Há alturas em que me parece ser feita apenas de coisas menos boas e aí é difícil manter o optimismo. Nesses dias vou para a cozinha e faço o que mais gosto. Entrego-me a tachos e panelas, fotografo clique após clique e parece que as coisas más aliviam um pouco. Hoje por exemplo, até acordei de bom humor apesar da noite ter sido em branco pois tenho o mais velho com asma há dois dias e o mais pequenino ranhoso até mais não. Ainda assim acordei bem disposta mas entretanto eis que, ao estacionar o carro, preparar-me para tirar o ticket de estacionamento e o sr. camelo que estava estacionado à minha frente, ao fazer marcha atrás resolveu, não só bater contra o meu carro, que estava bem estacionado, partir o pára choques e ir à sua vidinha como se nada fosse. Ora, pergunto eu, como se consegue manter assim o bom humor? Ai karma, que isto hoje não está fácil...

Ora, deixo-vos com uma receita bem docinha, feita com a ajuda da Krups Perfect  Mix 9000 para ver se o dia se torna mais doce, pelo menos.




*Precisamos de:
- 4 bananas maduras
- 5 ovos tamanho M
- 1 cup + 2 col sopa de açúcar amarelo
- 2 cups de farinha
- 1 col. chá de fermento em pó
- 45g  de amêndoa inteira (pode usar ralada mas inteira tem mais sabor)
- 40ml de óleo

1.Colocar as amêndoas raladas no liquidificador Krups Perfect Mix e triturar.
2. Adicionar as bananas e triturar (uns segundos no botão 2).
3.Adicionar  3 ovos, ½ cup de açúcar amarelo, 1 cup de farinha, o fermento, metade das amêndoas e 20ml de óleo e misturar, uns segundos botão 2.
4. Retirar e colocar numa taça misturando os restantes ingredientes com uma espátula.
5. Levar a cozer em forma untada e forrada com papel vegetal em forno pré-aquecido a 180º cerca de 35m.
6. Deixar arrefecer numa grelha.

*Recheio e cobertura:
- 1 embalagem de queijo quark
- 200g de creme de ovo (usei caseiro, aromatizado com baunilha) – reserve cerca de 80g de creme de ovo para usar na decoração
- chocolate ralado
- amêndoa laminada

11.  Cortar o bolo a meio, rechear, colocar por cima a outra parte do bolo.
22.     Cobrir apenas a parte de cima.

33.  Nas bordas colocar chocolate ralado, no meio creme de ovo e em volta coloque cuidadosamente as amêndoas laminadas.


* Post patrocinado


domingo, 2 de Novembro de 2014

bolo de limão e arandos

Digo sempre aos meus filhos que uma casa feliz cheira a bolo. Bem sei que não é uma verdade exacta, na minha infância a minha casa feliz nunca cheirava a bolo. Mas digo isso aos pequenotes e eles acreditam mesmo nisso. Não tem mal acreditarem nisso, é uma verdade infundada mas que em muito se relaciona com a vida cá de casa. Há sempre algo de especial. Seja uma sopa nova, seja pão acabado de fazer, os queques para os lanches da escola,...
Às vezes torcem o nariz porque não lhes apetece peixe, porque há brócolos, porque leva ervilhas. Reclamam mas comem. A sopa vai variando conforme os legumes de época ou o que há no congelador. Hoje será de feijoca e couve lombardo. E já se fez pão de nutella e cinnamon buns, o que sobrar será acondicionado no congelador e dará para os lanches semanais.
E ontem para o lanche ajantarado de sábado fiz este bolinho maravilhoso.
Nos bolos prefiro sempre este tipo, os bolos para o chá que ficam sempre tão saborosos,  húmidos, cheiram e sabem imenso a limão, não são enjoativos e no dia seguinte continuam deliciosos.

A loiça maravilhosa que aparece na foto foi uma das minhas queridas tias que me emprestou para fotografar. É um daqueles tesouros maravilhosos que me vão passando pela mão e são perpetuados nas fotografias.

Os arandos vermelhos vieram por correio pelas mãos da minha Joaninha que me fez uma surpresa e tanto, uma caixa cheia de coisas maravilhosas e nem do meu Benny se esqueceu. É nisto que a blogosfera nos torna mais ricos: em afectos e em partilha. 



Precisamos de:
- 115g de margarina
- 1 cup + 1/2 de farinha sem femento
- 1 col. chá de fermento em pó
-1/2 cup de iogurte grego natural
- 1 col. sopa de queijo creme
- uma pitada de sal
- 1 cup + 1/2 de açúcar
- raspa de limão
- 50g de arandos vermelhos

- 3 col. sopa de açúcar em pó
-1 col. sopa de sumo de limão

1. Bater cerca de 5m a margarina amolecida com o açúcar até ficar volumoso e arejado.
2. Adicionar os ovos, um a um, batendo entre cada adição.
3. Peneirar farinha, fermento, sal.
4. Acrescentar à mistura dos ovos o iogurte, a raspa de limão e o queijo creme e bater bem.
5. Adicionar os ingredientes sólidos e bater mais um pouco.
6. Untar uma forma de bolo inglês e forrar fundo e laterais com papel vegetal e colocar a massa de bolo a cozer em forno pré-aquecido a 180º cerca de 40m.
7. Retire da forma ainda quente e coloque sobre uma grelha a arrefecer.
8. Quando estiver morno coloque por cima um pouco do glacé (misture o açúcar em pó com o sumo de limão usando um garfo.