domingo, 19 de abril de 2015

Pavlova com creme de limão

O mundo da blogosfera é um mistério para mim. Ao fim de mais de 6 anos, continua um mistério. Por vezes publico coisas que até que devem ser super interessantes e as visualizações provam o contrário. E, outras coisas que até tenham dúvidas se terão comentários revelam-se muito visitadas. Um mistério, portanto!
Confesso que por vezes me deixa confusa e até desiludida mas, tento não sobrevalorizar isso. Afinal, tudo isto tem por base a partilha. Não sou profissional de cozinha, como facilmente se percebe, não sou pro em fotografia e o pouco que sei é por ser quase, autodidata. E, não vivo disto. Nada disso, tenho um emprego (aliás dois), dois filhos e um gato. Uma casa para cuidar e muitas responsabilidades. Ultimamente tenho sentido que faltam horas no dia-a-dia. Que o tempo não chega para tudo o que preciso de fazer. E por vezes, nos dias em que não cumpro o que estabeleci sinto-me um pouco derrotada. É uma corrida contra o tempo e eu sempre fui péssima a correr. Dá-me dor de burro! Apetece-me logo desistir. Como de tudo o que não faço bem. Como correr.
Penso muitas vezes que isto é uma fase de mudança, que ainda não me adaptei mas, não consigo ver um dia em que possa estar sossegada e o fim-de-semana também tem sido cheio de trabalho.
E, enquanto o tempo não me dá tréguas, deixo-vos uma receita que não me seduz, de todo, mas que faz sempre um brilharete.



Precisamos de:

*adaptado da minha querida Joana Roque:

- 6 claras
- 320g de açúcar
- 1 pacote de cremor tártaro
- 3 col. sopa de maizena
- 3 col. sopa de vinagre
- 1 col. chá de água de rosas

1. Pré aquecer o forno a 150º.
2. Bater as claras em castelo até começarem a endurecer.
3. Adicionar açúcar aos poucos batendo sempre, até ficaram duras e brilhantes.
4. Juntar amido, vinagre, água de rosas e cremor tártaro e mexer com vara de arames até misturar bem.
5. Colocar em círculo num tabuleiro e papel vegetal e baixar o forno para 120º, deixar cozer 1h20m. Deixar arrefecer completamente no forno.
6. Adicionar o creme e a fruta apenas na hora de servir.


 *Curd de Limão
Receita de Ottolenghi
- 100ml de sumo de limão
- 100g de açúcar
- raspa de 2 limões
- 80g de manteiga
- 2 ovos
- 2 gemas

1. Levar ao lume sumo, raspa, açúcar e metade da manteiga.
2. Bater os ovos numa tigela.
3. Mal a manteiga derreta, verter em fio sobre os ovos mexendo sempre.
4. Coe e leve de novo ao lume com o resto da manteiga até esta derreter, mal comece a engrossar, desligue.
5. Coloque película aderente diretamente sobre o creme.
6. Deixe arrefecer.

*Recheio:
- curd de limão
- 250g de mascarpone
- 1 pacotes natas 35%

1. Bater as natas com umas gotas de limão até ficaram espessas.

2. Envolver nos restantes ingredientes.

Nota: Decorar com a fruta que mais gostar, eu usei morangos e hortelã-chocolate.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Bolo de sêmola e coco (sem ovos) com calda de tomilho e baunilha

A última vez que visitei o país dos queijos (La France) trouxe de lá um pacotinho de sêmola. Lá havia mais grossa ou mais fina, trouxe da mais fina. Pesquisei e fiquei a saber que se usa, muito em doces.
Costumo aproveitar e, quando vou a algum lado, trago de lá ingredientes menos usuais por cá ou de mais difícil acesso.
Não resisto!
E geralmente também compro umas revistas de culinária para poder delirar com as fotos mesmo que não compreenda a língua.
Coisas minhas.
Também gosto de provar o que há de tradicional dos sítios onde vou. Em Barcelona ataquei as paellas e as tapas. Em França agarrei-me aos pães (tantos e tão bons), aos croissants tão leves, ao paté, ...
Este bolo é extremamente fácil de fazer, foi inspirado numa receita que veio numa das revistas de culinária que a C. me trouxe dos Sates na semana passada.



Precisamos de:
*Bolo:
- 1 cup de sêmola
- 1 cup de farinha
 - 1 cup de leite
- 1/2 cup de manteiga
- 3/4 de cup de açúcar
- fermento (usei Vahiné)
- 1/4 de coco ralado + para decorar

1. Derreter manteiga.
2. Misturar tudo, levar a cozer numa forma untada e forrada com papel vegetal, em forno pré-aquecido a 180º cerca de 35m.
3. Deixar arrefecer 10m na forma e ensopar o bolo com o xarope. Deixar arrefecer completamente na forma.
4. Colocar num prato e decorar com coco ralado.

*Xarope:
- tomilho fresco
- baunilha (vagem)
- 1/2 cup de açúcar
- 1/2 cup de água

1. Deixar ferver até reduzir e coar antes de verter sobre o bolo.



terça-feira, 14 de abril de 2015

Salada colorida com massa integral

Quando chega o bom tempo vê-se mais gente na rua a caminhar, muita gente a correr.
Faz-me sempre pensar se o fazem porque em breve chegará a época do bikini ou porque querem ter uma vida mais saudável.
Eu apenas caminho, quando posso e garanto-vos que sempre que o faço fico com a cabeça mais organizada e a alma mais leve. Não está relacionado com emagrecer.
E a propósito disso, há inevitavelmente que falar na alimentação que é meio caminho andado para termos uma vida mais saudável.
Na ordem do dia andou a reportagem da Sic sobre os malefícios do açúcar. Não sou extremista, não acho que devemos a toda a força deixar de ingerir açúcar e nem alinho em "dietas sem...". Nunca consegui aderir aos sumos Detox. Mas sei que, investirmos no que comemos é muito importante. Os meus filhos comem coisas com açúcar e fazemos bolos cá por casa mas, tudo se come com moderação. Não há manhazitos, bollycaos, etc para o lanche da escola, há sim pão, morangos em pedacinhos, tiras de cenoura, gressinos e às vezes bolachas. Bebem limonada feita em casa com a mesma facilidade com que bebem um compal e o mais velho ainda bebe leite simples. Cereais só há uma vez por semana e as bolachas de eleição são as Maria integral.
Poucas vezes comem comida com molho, tirando molho de tomate, que é sempre caseiro e enchidos é coisa que se come em poucas quantidades.
Há sempre sopa e legumes para acompanhar, nem que seja apenas alface.
Também comem coisas destas, como esta salada. É fácil convencê-los a comerem quinoa, massa integral. Fazemos refeições vegetarianas, e vão experimentando tantas coisas.
Dá muito trabalho, mas vão comendo muito bem e se assim é, um bolo de vez em quando não faz assim tão mal.
Mas uma coisa é certa, é mais fácil educar os pequenitos do que mudar os adultos.


Precisamos de:
- massa integral (usei Garofalo)
- chicória
- alface roxa
- couve-flor roxa
- rabanete
- funcho
- acelgas verdes
- cebola roxa
- pepino doce ou japonês

*Molho:
- 1 col. chá de cebolinho
- 2 col. sopa de azeite virgem
- vinagre q.b.
- 1 col. café de golden syrup ou mel
- sal 
- 1 col. café de harissa

1. Cozer a massa (quando estiver quase pronta, adicione as acelgas lavadas e cortadas em pedaços) até ficar al dente. Escorrer e passar por água fria.
2. Cortar todos os legumes na mandolina, até a couve-flor.
3. Lavar alface e chicória e secar bem.
4. Misturar tudo.
5. Emulsionar o molho e verter sobre a salada.
6. Se desejar pode adicionar queijo fresco (aconselho Paiva) ou um queijo de cabra em fatias bem finas.

domingo, 12 de abril de 2015

Savarin

Já aqui referi que a minha vida (a nossa) anda numa fase de mudanças. 
E as mudanças, mesmo que sejam boas, causam sempre um certo stress que nos ocupa o pensamento. Vemos-nos de repente cheios de dúvidas, de medo, de ansiedade. Faz parte do processo.
O importante é tomarmos as decisões de forma consciente e tentarmos adaptar o nosso dia-a-dia para que o que ai vem.
E enquanto vamos tomando consciência de que as coisas vão mudando, o tempo foge-nos por entre os dedos. Tal como a areia!
Há que tomar as rédeas do tempo e aproveitar cada minutinho e se for a fazer um bolo, tanto melhor.
Desta vez, aceitei o desafio da Fermipan e fiz este Savarin.



Precisamos de:
- 11g de fermento de padeiro
- 1 col. sopa de açúcar
- 3 col. sopa de água morna
- 2 ovos batidos
- 2 col. sopa de leite
- raspa de limão
- 1 col. chá de água de rosas
- 1 cup de farinha
- 1/4 cup de manteiga

*Calda:
- 2 cups de água 
- 1 + 1/4 de açúcar
- água de rosas e raspa de limão
- 50ml de Malibu Coco

1. Colocar o fermento e o açúcar em água morna e deixar actuar 10m.
2. Adicionar ovos, leite, água de rosas, raspa de limão e amassar.
3. Deixar levedar 1h.
4. Bater numa batedeira a massa e adicionar a manteiga amolecida.
5. Deixar levedar numa forma untada, de buraco 2h.
6. Levar a forno pré-aquecido a 180º cerca de 20m.
7. Deixar arrefecer 10m na forma e adicionar o xarope deixando embeber bem ( levar todos os ingredientes ao lume e deixar reduzir).




quarta-feira, 8 de abril de 2015

Pão recheado com queijo, agrião e cajú

Ultimamente tenho a sensação de andar sempre a correr contra o tempo.  Custa-me um pouco, confesso! Nos últimos dias mudaram-se os meus hábitos e rotinas e não é fácil adaptarmos-nos rapidamente às mudanças.
Perdi o tempo das caminhadas, os bocadinhos da manhã que me davam energia e me deixavam de alma retemperada.
Perdi o tempo para as receitas e para os cliques incansável, sucessivos, à procura do ângulo perfeito, da luz perfeita.
Reservo esse tempo para o fim-de-semana em que me perco na cozinha.
Ganhei outras coisas, novas oportunidades, começar de novo.
E nesse tempo perco-me, trabalho devagar, faço tudo com calma sem a correria que pauta as minhas horas.
A Limiano desafiou, a Fermipan enviou uma caixinha de fermento para experimentar e eu lá fui, meter a mão na massa.
Ficou tão, tão bom...Sucesso garantido!









Precisamos de:
*Massa:
- 1/2 cup de leite morno
- 1/4 cup de azeite
- 11g de fermento de padeiro (usei Fermipan)
- 3 ovos
- 1 col. chá de sal
- 1 col. chá de açúcar
- 500g de farinha sem fermento
- 1 gema + 1 col. sopa de leite para pincelar

1. Dissolver fermento no leite aquecido com azeite e açúcar. Deixe actuar 10m.
2. Adicionar os restantes ingredientes e amassar cerca de 10m.
3. Dividir a massa em duas partes, rechear cada parte, entrançar e colocar na forma com chaminé que deve estar untada.
4. Deixar levedar 2h. Pincelar a massa.
5. Levar a cozer a 180º cerca de 30m.

*Recheio:
- 35g de cajú sem sal
- 30g de azeite
- 20g de agrião
- sal e pimenta
- 160g de queijo ralado Limiano
- 80g de fiambre de perú
- 70g de chouriço corrente

1. Triturar cajú com agrião, sal e pimenta. (na Bimby vel. 5-7-9, uns segundos)
2. Triturar fiambre perú e chouriça (na Bimby, vel. 5-7-9 uns segundos)

sábado, 4 de abril de 2015

Ninho de Páscoa

As mudanças assustam. Tudo o que mude o nosso dia-a-dia, tudo o que desconhecemos, assusta.
O meu pipoca pequenito pergunta-me se os adultos têm medo do escuro. Confesso-lhe que não gosto muito do escuro. Mas que, os adultos têm medo do desconhecido, daquilo que não estão habituados e que também têm um pouquinho de medo das mudanças.
Ele sorri! Acho engraçado que os crescidos também tenham medo.
Esta semana tem sido assim, cheia de mudanças e de decisões difíceis, daí andar sem postar novidades. Nem sempre o tempo chega para tudo.
Mas hoje, véspera de Páscoa, foi dia de pôr ordem nesta casa, de abrir janelas, arejar a roupa, de organizar. Mas também houve tempo para fazer o ninho da Páscoa, uma pavlova, pudim, um pão recheado.
Foi um daqueles longos dias mas em que houve tempo para tudo até para caminhada.
É tão quando fazemos tudo o que estipulamos.
Por isso, quando as mudanças assustarem, lembrem-se que em frente é o caminho. No regrets!
Desejo a todos os que visitam este cantinho uma Páscoa Feliz...



Precisamos de:
* Bolo:
- 8 ovos
- 1 cup + 1/2 de açúcar
- 1/2 cup de manteiga
- 2 cups de farinha sem fermento
- uma pitada de sal
- 1 col. chá de fermento em pó

1. Bater açúcar com os ovos até ficar bem volumoso.
2. Adicionar manteiga derretida, farinha e fermento, misturar bem para que fique sem grumos.
3. Levar a cozer a 180º cerca de 35m.

*Curd de Limão
Receita de Ottolenghi
- 100ml de sumo de limão
- 100g de açúcar
- raspa de 2 limões
- 80g de manteiga
- 2 ovos
- 2 gemas

1. Levar ao lume sumo, raspa, açúcar e metade da manteiga.
2. Bater os ovos numa tigela.
3. Mal a manteiga derreta, verter em fio sobre os ovos mexendo sempre.
4. Coe e leve de novo ao lume com o resto da manteiga até esta derreter, mal comece a engrossar, desligue.
5. Coloque película aderente diretamente sobre o creme.
6. Deixe arrefecer.

*Recheio:
- curd de limão
- 250g de mascarpone

1. Cortar o bolo a meio
2. Bater tudo.
3. Rechear.
4. Cobrir com a outra metade.

O bolo foi coberto com ganache de chocolate e decorado com raspas de chocolate, coco ralado tingido com corante verde, amêndoas e cenouras feitas em pasta de açúcar.

sábado, 28 de março de 2015

Queques de cenoura e amêndoa (vegan)

Esta semana passou a correr.
Caminhei pouco, tive pouco tempo. Cozinhei à pressa. Coisas simples.
Nota-se logo no meu humor quando me falta tempo para o que me faz bem à alma.
No fundo, as horas que passo na cozinha são as minhas horas de relaxe por estranho que pareça. É quando a mente se desliga e só me foco na receita.
Os meus filhos também reclamam quando não há tempo para algo especial.
Estranham não haver queques para o lanche, acabados de fazer. Eu respondo-lhes que também me apetece reclamar quando me privam de um tempo que é só meu.
Esta semana não foram só as receitas que ficaram em stand by.
O cesto da roupa chama por mim e eu replico: "Só mais um bocadinho, só mais uma fornada de queques".



Precisamos de:
- 150g de cenoura
- raspa de limão
- 180g de farinha sem fermento
- flax egg (3 col. sopa de sementes de linhaça moída + 5 col. sopa de água)
- 3 col. sopa de leite de avelã (usei Joya)
- 2 col. sopa de flocos de millet
- 3 col. sopa de óleo
- 40g de amêndoa triturada (mas em pedaços)
- 150g de açúcar
- 2 col. chá de fermento em pó
- uma pitada de sal

1. Descascar e triturar cenouras (na Bimby vel. 5-7-9).
2. Misturar todos os restantes ingredientes, vel. 6, 2m.
3. Colocar em forminhas forradas com papel vegetal a massa e levar a cozer a 180º cerca de 20m. Use o palito para se certificar da cozedura.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Bolonhesa de quinoa e uma açorda de coentros

Tenho iniciado os meus dias com uma caminhada, umas vezes mais extensa outras menos, consoante os afazeres. Tenho-me esforçado por não ceder à preguiça. Por muitos motivos: porque o exercício faz bem à saúde mas, essencialmente porque me tem feito sentir mais motivada para a realização das tarefas. Porque me esvazia a cabeça que não pára, porque me deixa mais concentrada. É um tempo ganho logo pela manhã.
É fácil arranjarmos desculpa para não a fazer: os miúdos que estão de férias, está frescote, ando cansada. Mas, tenho uma grande qualidade, quando me decido a fazer algo, ninguém me pára. 
Essa teimosia funciona para os dois lados, por vezes é uma qualidade mas também pode ser um grande defeito.
Muitas vezes revoltamos-nos contra coisas que não podemos mudar e, é tempo desperdiçado. Se as aceitarmos, conseguiremos ver que afinal alguma solução há-de aparecer. 
Em tempos em que ouço falar de tantas doenças complicadas, vou-me mentalizando que nós temos mesmo de cuidar muito bem de nós mesmos. O nosso corpo é a máquina mais importante e se não funcionar em condições, muitas coisas negativas advirão desse "descuido". Fazer exercício, comer bem, descansar, ter uma atitude positiva perante a vida mesmo quando tudo desaba. 
E por falar em comer bem, hoje é a famosa Meatless Monday, e trago uma sugestão cheia de sabor: bolonhesa de quinoa.
Façam pequenos gestos, adiram à Meatless Monday, comam mais vegetais, comprem produtos de época, escolham melhor e acima de tudo, aproveitem cada dia!




Precisamos de:

*Bolonhesa de Quinoa:
- quinoa (usei 1/3 de cup que cozi)
- 1 cebola
- 1 dente de alho
- 3 tomates secos
- 100g de alho francês
- um fio de azeite
- sal, pimenta e cominhos
- 1 folha de louro
- 1 lata e meia de tomate pelado
- 1 col. chá de açúcar
- 1 fio de vinagre balsâmico

1. Refogar cebola picadinha com azeite, sal, alho picado, cominhos e adicionar os tomates.
2. Adicionar folha de louro, açúcar e malagueta e deixar cozinhar 30m em lume brando.
3. Descartar a folha de louro, adicionar o vinagre balsâmico e triturar.
4. Levar ao lume a quinoa com o molho e deixar cozinhar em lume brando 10m.
5. Servi com queijo parmesão ralado.

*Açorda de coentros
minha versão, sem ovo

- pão (usei Saloio)
- coentros frescos
- 2 dentes de alho
- água quente
- um fio de azeite
- sal e  pimenta
- 1 cebola

1. Num almofariz esmagar coentros, sal e alhos.
2. Picar cebola e refogar a cebola e a pasta de coentros em azeite.
3. Adicionar pão cortado em pedacinhos e deixar cozinhar um pouco.
4. Acrescentar sal e pimenta e água, mexendo sempre até ficar cremoso.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Pasteis de Tapioca

Ontem foi o dia do Pai. Tenho a sorte de estar rodeada de excelentes pais: o meu pai, o meu sogro e o pai dos meus filhos.
Não há palavras para agradecer o facto de estarem presentes, amarem, saberem ser amados e serem dignos do amor destes seres que os vão imitando em tantas coisas.
Eles vão partilhando as vitórias e oferecendo o ombro nas derrotas mas mantém-se lá, sempre por perto.
O amor mais forte é este, não é? O que espelha teias invisíveis ligando-nos uns aos outros em todas as direções. Que nos segura, ampara, puxa. O amor cresce, multiplica-se a cada etapa do crescimento.
Obrigada aos Pais da minha vida!



Precisamos de:
*3 pasteis
- 1/2 de cup. de tapioca
- 1 batata pequena
- 1/2 cenoura
- cebola picadinha
- 1 dente de alho
- sal, pimenta e cominhos
- 2 col. sopa de farinha de grão de bico
1. Demolhar a tapioca em água quente durante 1h.
2. Cozer a batata e a cenoura e quando cozidas, esmagar com um garfo.
3. Colocar a tapioca, batata, cenoura, cebola, alho no robot de cozinha e misturar apenas. Adicionar a farinha e misturar de novo.
4. Levar uma frigideira anti-aderente ao lume, pincelar com azeite ou spray e dourar os pasteis de ambos os lados.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Upside down banana cake

Hoje ando um pouco desastrada, quer dizer, mais do que o costume.
Caiu-me a máquina de fazer nebulização em cima do pé direito. Resultado? Dores, está a ficar negro e o inchaço está a dar de si.
Quem me manda a mim ser distraída?
Ora toma lá que é para aprenderes, aguenta as dores e caladinha, minha menina.
Bolas, eu sabia que devia ter ido caminhar hoje.
Trago bolinho para animar o dia, este é para contribuir para a feirinha da escola do pipoca mais pequenino.b



Precisamos de:
* Topping:
- 1/2 cup de açúcar
- 2 col. sopa de manteiga
- um pouco de flor de sal
- 2 bananas

*Bolo:
- 2 cups de farinha sem fermento
- baunilha
- 2 ovos
- 3/4 de cup de açúcar
- 1 cup de buttermilk
- 1 col. chá de fermento em pó
- 8 col. sopa de manteiga

1. Levar ao lume o açúcar até começar a dourar.
2. Adicionar manteiga e sal e deixar que fique homogéneo.
3. Untar forma de 22cm e forrar com papel vegetal.
4. Colocar o molho, por cima as bananas às rodelas.

1. Bater açúcar com manteiga até ficar bem volumoso.
2. Adicionar a baunilha e os ovos, um a um, batendo entre cada adição.
3. Adicionar farinha  (adicionar a esta o fermento em pó) alternando com o buttermilk. Colocar a massa por cima das bananas cuidadosamente.
4. Levar a cozer a 180º cerca de 50m.